Tenho sede, uma absurda vontade de goles grandes de palavras "malditas" (...)

Presépio










Uma simbologia importante para o Natal, esta data que se aproxima rapidamente é o presépio, uma referência cristã que representa o nascimento de Jesus de Belém, na companhia de José e Maria. Jesus nasceu numa manjedoura destinada a animais, segundo a história, este acontecimento ocorreu no tempo do rei Herodes, que teria mandado matar todas as crianças por medo de perder o seu trono para o futuro rei dos judeus. Tornou-se costume em várias culturas montar um presépio quando é chegada a época de Natal. Variam em tamanho, alguns em miniatura, outros em tamanho real. No Brasil, a cena do presépio foi apresentada pela primeira vez aos índios e colonos portugueses em 1552, por iniciativa do jesuíta José de Anchieta. O primeiro a armar um presépio em argila foi São Francisco do Assis, em 1223. As ordens religiosas se incumbiram de divulgar o presépio, a aristocracia investiu em montagens grandiosas e o povo assumiu a tarefa de continuar com o ritual. O costume espalhou-se por entre as principais Catedrais, Igrejas e Mosteiros da Europa durante a Idade Média. Em 1567, a Duquesa de Amalfi mandou montar um presépio que tinha 116 itens, a adoração dos Reis Magos e dos pastores e o cantar dos anjos. Foi já no Século XVIII que o costume de montar o presépio nas casas comuns começou e depois pelo mundo. Ao lado da árvore e dos presentes, o presépio é talvez uma das mais antigas formas de caracterização do Natal. A palavra presépio significa “um lugar onde se recolhe o gado; curral, estábulo”. O nascimento e a adoração ao Menino Jesus eram representadas de outras maneiras. As primeiras imagens do que hoje conhecemos como presépio de natal foram criadas em mosaicos no interior de igrejas e templos no século VI e, no século seguinte, a primeira réplica da gruta no Ocidente foi construída em Roma. O presépio natalino se difundiu pelo mundo criando uma ligação com a festa do Natal. Já no século XVIII, a recriação da cena do nascimento de Jesus estava completamente inserida nas tradições de Nápoles e da Península Ibérica. Essa é a forma mais tradicional de simbolizar o grande acontecimento que ficou gravado na história da humanidade. Por isso que no natal o presépio é a principal imagem que deve ser colocada embaixo da árvore representando amor verdadeiro, perdão, vida e salvação. Existem vários tipos de presépio, artesanal, vivo, reciclado entre outros, cada ano um mais moderno e elaborado que o outro, uns que valem uma verdadeira fortuna, mas não se pode esquecer que o verdadeiro valor está no coração das pessoas que acreditam em Deus e no nascimento do menino Jesus, nada mais. Para muitos o presépio de Natal é apenas mais um artefato de comércio e acabam esquecendo da sua real importância.

2 comentários:

Elton Sipião O Anjo das Letras. disse...

O presépio foi uma invenção genial do grande São Francisco de Assis que quis celebrar o nascimento de Jesus com seus frades e o povo italiano da época, no século XIII,ele quis celebrar tal acontecimento usando a evangelização visual,invés de usar a pregação o Seráfico Pai usou a imagem do nascimento do salvador por meio do presépio.São Francisco foi um gênio religioso sem duvida alguma,por isso é considerado um dos maiores reformadores da história da Igreja Católica Apostólica Romana.Beijos poéticos.

Rafa disse...

Lindo mesmo...adorei!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...