Tenho sede, uma absurda vontade de goles grandes de palavras "malditas" (...)

DI ---> VERSOS









Luana Saraiva




Lindos são teus olhos, como

as jabuticabas e belo este semblante

feito o sol da manhã.


Uns detalhes soltos no corpo,

carinhos, jeitos, coragem e

fulgor.


Assim, caminhas ao longo do dia,

na passarela perfeita e colorida,

nos suaves passos e largos sorrisos.


Ninguém a deixa triste,

pois dentro de si, há um bonito baú,

com verdades e surpresas.


Aperto de mão competente tem,

um beijo quente no rosto de alguém,

um “cheiro” perfeito no dia exausto.

Segue minutos constantes...

no árduo dia de trabalho,

nos momentos à noite antes de dormir.


Andas sobre as pedras no jardim,

cultiva o plantio errado que alguém deixou,

purpurina de carinho a próxima estação.


Reina tuas virtudes no palácio da

amizade, teus sonhos na terra da

fantasia, tudo isto é real.


Alcançar a meta na vida é tua razão de viver,

os planos diários são desenhados no papel e

toda noite agradece a Deus os novos rabiscos.


Inventar a fórmula do amor não é

mais preciso, teu interior de mãe

já faz isto sem esforço algum.

Voe “Dear”, o mais alto que puder,

bata tuas asas bem forte, sinta

a brisa e só volte no alvorecer.


Além do que eu possa descrever,

existe uma rede para que possas repousar,

numa admirável sombra das árvores,

que somos nós, que cuidas com muito esmero e

nos envolve em forma de coração.



Luana é uma amiga exemplar daqui de Mossoró,

digamos que ela é quase minha irmã.

Esta foi minha homenagem para esta tão querida.



Bjks










Versos Rimados




Quando a saudade bate no peito
o tique-taque se apressa de um jeito...
Só a esperança é o meu alento
de te ouvir na voz do vento,
de ganhar o abraço apertado
do que estou, cheio de angústia, afastado;
de voltar a receber teu beijo amoroso
que me faz assim tão saudoso,
de ter de volta o teu carinho, enfim,
cuja falta me faz sofrer assim.
E o pensamento voa,
fica vagando à toa,
à noite, no balanço da escuna,
te encontro, minha estrela, linda...



Poeta Mário Rezende

mariorecanto@yahoo.com.br












Desamparo



Choro porque não me há alternativa.
Meu pranto como rio a desaguar,
água salgada não há mais o que esperar
caiem compulsivamente, gotas de dor,
de finitude, de insignificância.
É a dor que corroeu a alma fragilizada
que tentou ao mundo se adaptar
Perdeu e perdeu-se na modernidade da normalidade.
Choro a falta de insanidade,
pois pra que consciência?
Para degustar mais a crueldade?
Choro a invisibilidade do concreto,
aquilo que me acerta de forma pungente.
A água salgada a desaguar
onde irá parar?
Choro a dor do poeta
a falta de meta, o despertar de uma ilusão.



Poetisa Nilra Menezes

nilramenezes@hotmail.com














Um dia,
fugirei sem motivo aparente...
Estarei em Paris,
chorando lágrimas de alegria.


Sulla Mino











As sem-razões do amor


Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.


Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.



Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.

Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.



Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.



Carlos Drummond de Andrade


Ícaro



Nuvens carregam
o corpo sem asa
que rodopia
no vôo
sem volta


Sonho de voar
desfeito
no espaço
entre o céu
e o mar


Solange


Por Sulla Mino
Abraço



O coração fica sem argumentos,

aplaudindo o quê?

Solitário e

faminto,

recebendo medo,

pequenos momentos...

Amar!

Remédio fiel

para tempos modernos,

por quê?















A Formiga e o Pombo


Uma Formiga foi à margem do rio para beber água, e sendo arrastada pela forte correnteza, estava prestes a se afogar.

Uma Pomba, que estava numa árvore sobre a água observando a tudo, arranca uma folha e a deixa cair na correnteza perto da mesma. Subindo na folha a Formiga flutua em segurança até a margem.

Eis que pouco tempo depois, um caçador de pássaros, oculto pelas folhas da árvore, se prepara para capturar a Pomba, colocando visgo no galho onde ela repousa, sem que a mesma perceba o perigo.

A Formiga, percebendo sua intenção, dá-lhe uma ferroada no pé. Do susto, ele deixa cair sua armadilha de visgo, e isso dá chance para que a Pomba desperte e voe para longe, a salvo.

Autor: Esopo

Moral da História:

Quem é grato de coração, sempre encontrará uma oportunidade para demonstrar sua gratidão.




“ Por que a felicidade tem mais sabor quando morta? “

2 comentários:

martha barbosa disse...

Querida a felicidade, não tem e jamais terá sabor de morte, sim de saudade, de algo faltando consumindo, mas morta não, pelo menos quero achar que não.Agora fiquei confusa.Seu glog é muito bom,volto a visita-la e ja te coloquei nos meus favoritos.Um abraço

DANNA disse...

"simplesmente, porque a felicidade só se completa com a dor; não se pode ser feliz desconhecendo o gosto amargo da vida!"

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...