Tenho sede, uma absurda vontade de goles grandes de palavras "malditas" (...)

Poesia by Sulla Mino ...* * *... Entre Solidão


Entre solidão,

se aconchegue dentro deste peito

repleto de incertezas, de um fino desamor,

de argumentos miúdos,

de um bolor de ideias,

de palavras mal dormidas...

Entre solidão,

eternize-se neste ser descuidado e juvenil,

deste peito com afagos e mentiras,

de sentimentos poucos, de ânimo algum.

Solidão...

Entre e sinta o doce sabor destes vastos dramas

e perguntas incertas.

Entre e encontre a mulher em algum lugar,

em algum momento deste peito desordenado,

caduco e falido.

Ah solidão,

tens gosto bom em minha boca,

nos alicerces da minh’alma tens tempero cruel e amável.

Entre,

encontre-me,

catuca-me, revire a ferida ao avesso

e não me deixe morrer neste amor,

neste algo aqui que muito dói.


2 comentários:

Anônimo disse...

Essa solidão que acompanha os devaneios de quase todo poeta é a solidão que atrai pela beleza do momento em que é pensada, pois simboliza a procura incessante do belo e retrata a pureza da alma.
Beijo!
Raí

osvaldo disse...

amiga

Muito bom seu blog. Você profissional eu um amador.

Estarei sempre aqui. Está nos meus favoritos

Bons ventos e bons caminhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...